Parlamento aprova projetos de resolução para a construção de Centro de Saúde no Feijó

Os três projetos apresentados contaram com os votos favoráveis dos vários grupos parlamentares, à exceção do PS, que se absteve. No caso da proposta do PEV, cinco deputados da bancada socialista votaram a favor.

 

Há muito reclamado pelos utentes, o Centro de Saúde do Feijó poderá estar mais perto de se tornar uma realidade, após a aprovação parlamentar, esta sexta-feira, de três projetos de resolução apresentados pelo Bloco de Esquerda, PEV e PCP, que recomendam ao Governo a construção da nova infraestrtura.

“É um passo importante de um percurso que se prevê longo”, assinala Luís Palma, presidente da União de Freguesias do Laranjeiro e Feijó, em declarações ao ALMADENSE. Sublinhando que a construção da nova unidade de saúde é há muito tempo “uma ambição das populações”, o responsável frisou irão “continuar a lutar” para que a infraestrutura seja concretizada.

Em causa está a sobrelotação e as dificuldades no acesso à Unidade de Saúde do Laranjeiro, que hoje atende os utentes das duas antigas freguesias, sendo que, dos 47 mil utentes, pelo menos 20 mil continuam sem médico de família.

“As atuais instalações são manifestamente insuficientes”, explicou recentemente Luís Palma, assinalando as reiteradas “queixas da população”, no que diz respeito à “falta de recursos humanos e de material” daquela unidade de saúde. De resto, o autarca é um dos 4.278 subscritores da petição apresentada pela Plataforma Pela Construção do Centro de Saúde do Feijó, que motivou o debate que esta quinta-feira teve lugar na Assembleia da República.

A petição foi apresentada pela deputada e vereadora na Câmara Municipal de Almada, Joana Mortágua (BE), que indicou ser “urgente resolver o problema” com a construção de uma nova infraestrutura e a reorganização da que já existe, argumentando a carência tem causado “uma sobrelotação do Hospital Garcia de Orta“.

Os três projetos hoje aprovados contaram com os votos favoráveis dos vários grupos parlamentares, à exceção do PS, que se absteve. No caso da proposta apresentada pelo PEV, cinco deputados da bancada socialista votaram a favor.

 

Almada aprova contas de 2019 com saldo de 9,3 milhões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *