Há três focos de Covid-19 na margem Sul, nenhum deles em Almada

Nove em cada dez novos casos são na grande Lisboa. Situação na região é “complexa”, admite a diretora-geral de Saúde, Graça Freitas.

 

Nenhum dos três focos comunitários identificados pela Direção-Geral de Saúde na margem Sul do Tejo “se situa no município de Almada”, garantiu esta terça-feira a presidente da Câmara Municipal, Inês de Medeiros, num comunicado publicado na sua página de Facebook.

“Não se regista, até ao momento, nenhum surto preocupante no concelho”, esclareceu a edil, depois da diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, ter anunciado a existência de três focos de Covid-19 na margem Sul do rio Tejo.

Admitindo que a situação na região de Lisboa “é complexa”, a responsável adiantou que “na área do agrupamento de centros de saúde Almada-Seixal existem três pequenos focos comunitários, com 32 casos positivos”.

Um desses focos situa-se no bairro da Jamaica, no Seixal, que conta com 16 casos confirmados de Covid-19, “que estão todos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde da região”, explicou a diretora-geral da Saúde.

 

Número de internados é “animador”

De acordo com os dados divulgados pelas autoridades de saúde, esta terça-feira confirmaram-se mais 219 casos de infeção em todo o país, sendo que, destes, 211 foram notificados na área metropolitana de Lisboa e Vale do Tejo.

Ou seja, cerca de nove em cada dez novos casos são na região da capital, sendo que em Almada o total de infetados com Covid-19 se situa hoje em 352. Comparando com o início do mês de Maio, a subida no número de novos casos de infeção no concelho é de 54%, um crescimento muito superior ao do resto do país no mesmo período (23%).

Ainda assim, para Inês de Medeiros, a subida no número de contágios em Almada está a acontecer “de forma controlada”. De acordo com a autarca, o aumento dos casos de Covid-19 é também resultado “da campanha de testes” que está a ser levada a cabo no município.

“O importante são os números de internados e em particular nos cuidados intensivos. E esses são animadores”, adiandou a responsável, acrescentando, contudo, que “isso não invalida que tenhamos de cumprir todas as medidas de segurança”.

“Continuaremos sempre atentos e articulados, por forma a garantir uma informação sempre atualizada”, concluiu Inês de Medeiros.

Até ao momento, o concelho de Almada tem a lamentar oito vítimas de Covid-19, sendo que no resto do país o número ascende a 1342 mortos (mais 12 do que ontem).

 

Mais 43 casos em 24 horas em Almada, que regista terceira morte por Covid-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *